Connect with us

Futebol Entrevistado

Tiago Silva: “Acho que me adaptei rápido ao estilo de jogo”

Tiago Silva chegou esta época a Inglaterra e tem sido uma das figuras do Nottingham que ocupa o 5° lugar do Championship. O médio português soma 3 golos e 4 assistências em 38 jogos num clube onde tem a companhia de Yuri Ribeiro, João Carvalho e Tobias Figueiredo.

Antes disso representou o Belenenses e o Feirense que também foram tema de conversa.

O jogador de 26 anos falou ainda sobre os seus sonhos e contou alguns episódios caricatos vividos na sua carreira.

RD: De que forma avalias este primeiro ano em Inglaterra tanto a nível individual como colectivo? Está a corresponder às expectativas?

Tiago Silva: Está a ser um ano bastante positivo tanto a nível individual como coletivo. A equipa está numa boa fase, é um campeonato bastante competitivo e por isso é difícil construir uma dinâmica de vitória porque as equipas que estão mais abaixo na classificação por vezes surpreendem e vencem as que ocupam os lugares mais cimeiros, mas ainda assim acho que estamos a superar as expectativas de todas as pessoas e estamos num lugar que nos perspectiva boas coisas no futuro. Pessoalmente acho que me adaptei rápido ao estilo de jogo em Inglaterra, que é um pouco mais físico do que em Portugal mas menos técnico, tenho contribuído com golos e assistências e joguei praticamente todos os jogos oficiais.

RD: E fora de campo, a adaptação foi fácil ao estilo de vida britânico? Sentes muitas diferenças relativamente a Portugal?

Tiago Silva: Tive algumas dificuldades de adaptação ao país porque estava habituado a um clima diferente. Muito calor, sol, praia. Em Inglaterra, praticamente não saio de casa porque está sempre mau tempo, a cidade é pequena e muito pacata, o shopping fecha apartir das 16h por vezes, ou seja, há pouca atividade na cidade. Outra das dificuldades que encontrei no país foi conduzir do lado oposto mas agora já estou acostumado. As pessoas são acolhedoras e simpáticas e a comida tem algumas semelhanças com a comida Portuguesa, apesar da nossa comida ser difícil de igualar.

RD: Passaste alguns anos no Belenenses. De que forma vês o actual imbróglio entre SAD e clube?

Tiago Silva: Sinceramente é uma situação bastante chata pois esta divisão não veio beneficiar nenhuma das partes. O clube e a SAD ganhariam mais se se mantivessem unidos. Neste momento, vemos os jogos do Belenenses SAD com muito pouca gente no estádio, que é uma pena. Por outro lado, o Clube manteve maior parte dos adeptos e acho que com esta “separação“ acabou por prejudicar mais o Belenenses SAD. O meu desejo era que voltassem a ser um só.

RD: Qual foi a razão da saída do Restelo para o Feirense?

Tiago Silva: A razão da minha saída do Belenenses para o Feirense primeiramente foi porque perdi algum espaço na equipa. Passei de “titular” a “não convocado” quando o Van der Gaag saiu do cargo de treinador por motivos de saúde.

Naquela altura eu jogava todos os jogos, era convocado para a Seleção Nacional(sub-21) e exibia-me a bom nível mas depois da saída do Van der Gaag nunca mais foi a mesma coisa.

Continuava super empenhado nos treinos e saí sempre com a consciência tranquila de tudo ter feito pelo clube mas alguns factores “extra futebol” acabaram por me ir desmotivando e fruto da idade acabei por enfraquecer quando não podia.

Depois, quando tomei a decisão que não queria mais ficar no Belenenses para ser suplente, foi-me dada autorização para procurar um clube. Em Portugal tinha alguns clubes interessados, mas gostei do projecto do Feirense e das pessoas que falaram comigo.

Acabou por ser uma decisão acertada porque saí da minha zona de conforto e com 21 anos fui viver sozinho, longe da família, amigos e isso obrigou-me a amadurecer e a fazer-me homem mais depressa.

RD: Que sonhos desejas cumprir nas próximas temporadas?

Tiago Silva: Os meus desejos são muitos, mas como não gosto de pensar a longo prazo, os mais próximos são ajudar o clube a subir a Premier League sem dúvida. Outro dos grandes desejos que eu tenho é jogar num clube grande em Portugal e por fim adorava jogar em Espanha porque acho que é o tipo de futebol que mais me enquadro. O futebol em Inglaterra é lindo por tudo o que o envolve, a atmosfera, só mesmo quem nele está percebe o que estou a dizer. Os adeptos são incríveis, a maneira como vivem o futebol, tudo. Mas na Espanha o futebol é tão bem jogado que às vezes chega a aborrecer as pessoas e é exatamente isso que me cativa, eu gosto muito de futebol bem jogado. E atenção, não estou a dizer que em Inglaterra não é bem jogado, mas muitas vezes é mais jogado com o coração do que com a cabeça.

RD: Tens algum episódio engraçado/caricato vivido na tua carreira que nos possas contar?

Tiago Silva: Tenho vários episódios engraçados porque felizmente por todos os balneários que passei cruzei-me com excelentes pessoas e sempre tive grandes grupos de trabalho, então os momentos bons sobrepuseram-se quase sempre aos maus. Recordo-me assim de repente do meu primeiro ano de profissional no Belenenses que fizemos a pré-época nos fuzileiros e passamos um mau bocado. Foi muito exigente fisicamente, mas lembro-me bem que nos rimos muito agora quando relembramos alguns momentos.

Fomos acordados com sirenes e tiros, estávamos privados de sono durante 3 dias e ainda tivemos de carregar colegas lesionados. Já estava difícil carregar o nosso corpo durante o dia, quanto mais carregar colegas lesionados pelo lodo. Tudo aquilo ajudou a fomentar o espírito de equipa e essa foi uma das razões pela qual batemos o recorde de pontos da Segunda Liga e fomos campeões a muitas jornadas do fim do campeonato.

Outro momento que agora me faz rir, mas na altura foi de tristeza total, foi quando saiu a convocatória para o Mundial sub-20(acho que foi nesta competição) com a selecção. O Ivan Cavaleiro era o meu melhor amigo e estávamos sempre juntos e naquela convocatória ele não foi convocado. Eu estava em casa quando saiu a convocatória e quando saiu e vi que eu estava e ele não, comecei a chorar e a dizer que não queria ir. Tudo isto porque não queria estar lá sem ele(risos). Depois houve um jogador que se lesionou e o Ivan acabou por ser repescado. Problema resolvido(risos).

RD: Achas que será possível concluir os campeonatos?

Tiago Silva: Sinceramente acho muito difícil. A situação não vai estar controlada tão cedo e ainda que sejam tomadas todas as medidas para proteger os jogadores durante a competição (se retomar em breve) há sempre risco, por muito cuidadosos que sejamos todos pois é uma situação nova para todos e há sempre algo que escapa. O meu desejo era que pudéssemos termina-la pois estamos em posição de acesso à Premier league neste momento mas acho que a segurança e saúde está acima de qualquer coisa.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

More in Futebol Entrevistado