Pedro Rebocho: «Tenho gostado muito mais do que apresento dentro do relvado»

Numa entrevista concedida ao nosso site Pedro Rebocho falou um pouco sobre a sua carreira.

O lateral esquerdo de 23 anos representa actualmente o Guingamp que neste momento é o lanterna vermelha da Ligue 1 depois de até ter realizado uma época muito tranquila.

Rebocho abordou também o facto de não ter alcançado a equipa principal do Benfica, a passagem pelo Moreirense, o sonho chamado seleção após um bom percurso nas seleções jovens e ainda nos contou uma história caricata vivida precisamente com a camisola das quinas.

RD: Estiveste vários anos no Benfica. Na tua opinião o que faltou para teres conquistado o teu espaço na equipa principal?

Pedro Rebocho: Não sei dizer exatamente o que me faltou, talvez uma oportunidade seja a palavra correta. E penso que o facto de ter tido a lesão que tive possa ter de alguma forma condicionado isso.

RD: Que importância teve para ti a passagem pelo Moreirense?

Pedro Rebocho: Penso que o Moreirense foi a “ponte” muito importante que me ajudou a ultrapassar a fase menos boa, porque tinha vindo de lesão, até alcançar um nível que me permitiu ser visto com outros olhos e realmente ter demonstrado que a lesão não tinha passado apenas de um precalço na minha carreira. Devido à confiança do clube em mim e dos treinadores que tive permitiu-me subir um patamar em termos futebolísticos.

Pedro Rebocho diante de Mbappé

RD: Foi fácil a adaptação ao futebol francês? Quais são as principais diferenças entre os dois países e no fundo entre os dois campeonatos?

Pedro Rebocho: Na minha opinião foi, porque o clube fez de tudo para que eu me adaptasse o mais rápido possível. A maior diferença que eu sinto é em termos físicos e em qualidade técnica, aqui há muito bons jogadores. E também em termos de ambiente dos adeptos, dos relvados. Está acima do que se vê em Portugal.

RD: Depois de uma temporada anterior tranquila, atravessam agora uma época complicada. Na tua opinião quais são as principais razões desta quebra do Guingamp?

Pedro Rebocho: Penso que a principal razão seja a desconfiança em nós próprios. Tivemos jogos em que jogámos muito bem mas que no final acabámos por perder. E com o passar do tempo e não ganhando, a confiança é cada vez menor. Mas creio que acima de tudo vamos ultrapassar esta fase e vamos voltar aos bons resultados e subir na classificação.

RD: Apesar do mau momento colectivo, como avalias até agora esta tua aventura no clube a nível individual?

Pedro Rebocho: A nível individual tenho-me sentido muito mais à vontade e com confiança para demonstrar as minhas qualidades. E creio que devido a isso em termos exibicionais tenho gostado muito mais do que apresento dentro do relvado.

RD: Depois de teres passado por todas as selecções jovens achas que é possível alcançares a Selecção A em breve? Sentes-te preparado para isso?

Pedro Rebocho: Em breve não sei, mas é um sonho que eu tenho como qualquer outro jogador de futebol. Para ser sincero sinto-me preparado caso essa oportunidade um dia surja, mas até lá quero evoluir cada vez mais para demonstrar que realmente algum dia serei merecedor dela mesmo.

RD: Tens alguma história engraçada/caricata vivida no futebol que nos possas contar?

Pedro Rebocho: Há uma história que me aconteceu na seleção com o mister Hélio Sousa. Em que estávamos na reunião antes do jogo e eu tinha uma questão e quando eu perguntei, enganei-me e em vez de chamar mister chamei Pai e começaram todos a rir(risos).
Acho que foi das coisas mais engraçadas que já me aconteceram.
Assim contado pode parecer que não tem muita piada mas no momento foi muito engraçado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.