Andreia Norton em entrevista ao Remate Digital

Andreia Norton tem 22 anos e representa actualmente o SC Sand da Alemanha. A internacional portuguesa concedeu ao nosso site uma pequena entrevista em que abordou alguns dos principais momentos de uma carreira que já tem muito para contar.

A avançada que também tem origens brasileiras, deu os primeiros a jogar contra rapazes, mas começou a competir no futebol sénior feminino com apenas 13 anos! Já passou pelo Barcelona mas nunca chegou a competir devido a uma lesão bastante complicada, regressou a Portugal para representar o Braga onde brilhou, acabando por rumar à Alemanha neste último verão.

É uma escolha habitual na Selecção Nacional onde teve o privilégio de marcar o golo que deu o apuramento para a primeira participação portuguesa num Europeu.

Fique então agora com a entrevista:

RD: Começaste a jogar com 7 anos no Furadouro numa equipa masculina certo? Como foi viver essa experiência de jogar com e contra rapazes?

Andreia: Certo. Foi com eles e contra eles que dei e vivivenciei os meus passos e bons momentos no futebol. Tinha uma equipa fantástica que sempre me tratavam com carinho especial, país e filhos. Os rapazes com quem jogávamos contra não me desvalorizam por ser uma menina, eles me viam dentro de campo como um outro jogador. Agora relembrando esses momentos foi uma experiência incrível. 

RD: Segue-se a Oliveirense onde te estreias como sénior na 1ª Divisão aos 13 anos. Como te sentias ao estar já nesse nível tão cedo?

Andreia: Bem, confesso que foi no início tudo muito diferente e mais complicado. Já era futebol de 11, eram mulheres e bastantes experientes. Mas quando entrava em campo eu esquecia tudo isso e apenas jogava.

RD: Rumas depois ao Cesarense e ao Clube Albergaria. A partir de que idade começas a jogar com mais regularidade? Resume-nos um pouco como foram essas temporadas.

Andreia: A partir dos 14/13 anos no Cesarense comecei a jogar sempre e inclusive tive a minha primeira chamada a seleção sub-19. Começamos na 2ª divisão mas subimos no mesmo ano para a 1ª e ainda ganhamos a taça de promoção.  Entretanto por vários motivos acabei por ir jogar para o Albergaria onde fui bastante feliz. Não tive a felicidade de vencer o campeonato ou a final da taça de Portugal onde tivemos presentes mas tive oportunidade de evoluir muito. Foi um clube que me marcou e pessoas também.

RD: De que forma caracterizas a experiência vivida no Barcelona? Sentes que foi algo agridoce?

Andreia: A experiência no FC Barcelona teve um sabor agridoce pois tive a infelicidade de me lesionar no meu último jogo pelo Albergaria e a lesão era mais grave do que se supunha, no entanto o FC Barcelona cumpriu o contrato comigo, fui sujeita a duas intervenções cirúrgicas a ambos os joelhos, uma para debelar a lesão sofrida e a outra de prevenção para evitar uma possível lesão futura. Derivado a essa situação, estive em recuperação a época toda e não me cheguei a estrear pelo Barça, não podendo assim retribuir a confiança depositada na minha contratação e na forma excecional como fui tratada. Ao nível do clube em si, estamos a falar de um dos maiores clubes do mundo, onde há tudo e nada falta! Tive a felicidade de poder viver por dentro num clube desta dimensão, partilhar momentos com algumas referências mundiais, vê-los jogar ao vivo inúmeras vezes… Tirando as lesões foi tudo de bom!!

RD: Regressaste depois a Portugal para representar o Braga. Como avalias essa experiência no clube minhoto?

Andreia: Jogar pelo Braga foi algo fantástico. Um clube, uma cidade, adeptos e jogadoras incríveis!! Um clube que sempre se disponibilizou para tudo e que sempre me tratou com muito carinho. Foi mais uma etapa na minha vida e carreira que nunca me vou esquecer e um clube que eu levo no meu coração! 

RD: Estão a correr bem estes primeiros meses no SC Sand? Tem sido fácil a adaptação?

Andreia: Não foi uma adaptação fácil, pois é um “mundo” completamente diferente. Um futebol diferente, língua diferente… mas desde julho melhorou bastante a minha adaptação e agora daqui para a frente sinto que vai ser cada vez melhor! 

RD: Quais são as principais diferenças que encontraste em Espanha e agora na Alemanha relativamente ao futebol feminino português?

Andreia: O nível do futebol. Os treinos, a velocidade do jogo, a disponibilidade física e o físico das jogadoras… é uma diferença notável em relação a Portugal. 

RD: Quem acompanhar até aqui esta entrevista sem saber a tua idade ficará certamente surpreendido ao saber que tens apenas 22 anos tendo em conta o teu currículo. Que objectivos tens para a tua carreira? Até onde acreditas que podes chegar?

Andreia: Vencer títulos com o meu clube. Estar presente nas convocatórias da seleção e poder atingir grandes patamares! 

RD: Qual foi a sensação de apontar o golo que deu o primeiro apuramento de Portugal para a fase final de um Europeu?

Andreia: Foi uma sensação única. Uma explosão de alegria, não há palavras que possam descrever esse momento. 

RD: O que falta ao futebol feminino português para atingir patamares superiores?

Andreia: Acho que Portugal está no caminho certo. Se continuar apostar no feminino como tem feito tudo  irá melhor bastante.

RD: Quais são as tuas referências no futebol feminino e masculino?

Andreia: Cristiano Ronaldo. E eu sempre tive uma grande admiração pela Marta, no entanto também admiro a Marozsán. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.