Uma geração de ouro que se dá ao luxo de deixar vários craques de fora

Falta “apenas” uma vitória para colocar a cereja no topo do bolo. A Selecção Nacional sub-19 tem realizado um belo percurso no Europeu, apenas perdeu diante da Itália na 2ª jornada, mas com uma grande condicionante: jogou grande parte do encontro com menos um elemento, mas nem assim deixou de realizar uma boa exibição.

A estrondosa goleada na meia-final diante da Ucrânia por 5-0 não deixa dúvidas do talento deste conjunto. Foram 30 minutos avassaladores com 5 golos sem resposta.

Diogo Costa, Francisco Trincão, Jota, Rúben Vinagre, José Gomes, Domingos Quina ou Miguel Luís são algumas das figuras deste colectivo que se dá ao luxo de ter de fora Diogo Dalot, Rafael Leão, João Félix, Gedson Fernandes, Pedro Neto, Diogo Leite ou David Tavares pelas mais variadas razões. Lesões, recusa dos clubes em ceder os jogadores, etc.

Esta geração de 99 promete e de que maneira! No domingo, diante da Itália, só um objectivo existe: vencer. Mas aconteça o que acontecer, uma coisa é certa, o futuro está garantido com tanto talento e potencial.