Fernando Santos: «Custa-me muito deixar de fora todos os que participaram no Euro»

Depois de revelar o nome dos 23 eleitos para o Mundial, Fernando Santos respondeu a algumas perguntas dos jornalistas presentes sobre vários assuntos entre eles a dificuldade nas opções tomadas e mais concretamente também no facto de ter de deixar de fora vários elementos que conquistaram o Europeu:

«Foi tão difícil aqui como foi o no Euro’2016. Definir 50 jogadores, que é o que observamos ao longo da época, é mais fácil. Depois quando vamos começando a cortar, a filtrar, obviamente torna-se mais difícil. À semelhança do que aconteceu em 2016, deu-me muitas dores de cabeça. As últimas duas semanas foram de trabalho intenso, terminou há duas horas que foi quando finalizámos a convocatória. Tomámos a decisão baseada no sistema de jogo, na filosofia, enquadramos os jogadores para jogar a competição em que vamos participar, muitíssimo rápida, jogos constantes… A dificuldade passa também por aí. Como profissional tomo as minhas decisões, não agradarei a todos, seria mais fácil se pudesse alargar essas decisões. No aspeto humano custa-me muito deixar de fora todos os que participaram no Europeu e que ainda estão no ativo, como é o caso do Vieirinha, Eliseu, Rafa, Nani, André Gomes, Éder, Renato… Jogadores, alguns que figuraram nos 35 pré-convocados e outros não figuraram?»

Acrescente-se então que relativamente ao Europeu 2016 existem 10 alterações na convocatória. Eduardo, Vieirinha, Ricardo Carvalho, Eliseu, Danilo, André Gomes, Renato Sanches, Nani, Rafa e Éder não fazem desta vez parte da lista e por outro lado, entram Beto, Ricardo Pereira, Rúben Dias, Mário Rui, Manuel Fernandes, Bruno Fernandes, Bernardo Silva, Gelson Martins, Gonçalo Guedes e André Silva.