Futebol Entrevistado: Tiago Ferreira

Tiago Ferreira tem 24 anos, passou pela formação do Boavista e do Porto onde deu os primeiros passos como sénior na equipa B, esteve depois um ano na Bélgica onde não foi feliz e regressou de seguida a Portugal para se estrear na Primeira Liga. Desceu de divisão, jogou um ano na Segunda Liga e esta época assinou pelo actual 3º classificado da Liga Romena. Tem feito uma bela temporada numa equipa que está a lutar pelo título e onde também actua o português André Santos.

Nesta entrevista o central que jogou em todas as selecções jovens, fala sobre vários assuntos da sua carreira, sobre o futuro, sobre os problemas do futebol português e termina ainda contando-nos uma situação caricata que viveu na Madeira.

 

RD: Após vários anos ligado ao Porto qual foi para ti o significado de receber o prémio Dragão de ouro em 2012? O que faltou para chegares à equipa principal?

TF: Foi um motivo de orgulho muito grande, foi um momento muito bonito que irei guardar para sempre. Quanto à outra pergunta… bem, talvez na altura não estivesse preparado, o Porto estava muito bem servido com Otamendi, Mangala… logo não era uma tarefa fácil. 

 

RD: Seguiu-se o Zulte Waregem, o teu primeiro clube fora de Portugal. Como avalias essa temporada na Bélgica?

TF: Não correu como esperava. O campeonato belga é um campeonato muito competitivo, muito físico e eu pensava que estava preparado, mas quando estive lá vi que não era bem assim… tudo deu errado mas pronto serviu para tirar ilações do que não fazer para o futuro. 

 

 

RD:Como foi a tua estreia na Primeira Liga pelo União da Madeira e a época em geral?

TF: O União é uma equipa pela qual guardo um grande carinho, adorei a minha passagem pelo clube, um clube com boas condições, adorei a Madeira, a época não correu como pretendíamos, acabamos por descer na última jornada de uma maneira que não esperávamos. O ano passado ficamos em 3° lugar, fizemos uma época muito boa, mas o Portimonense e o Aves deram poucas hipóteses…

 

RD: O que provocou a tua saída do clube?

TF: Não sentia ali futuro… o segundo ano foi um ano muito atribulado, com muitos acontecimentos, mas mesmo assim fizemos uma grande segunda volta acabando no 3° lugar.

Mas senti que o meu ciclo ali tinha terminado. Guardo o União com um grande carinho, foi uma etapa muito importante para mim.

 

 

RD: Esta época assinaste pelo Universitatea Craiova. Fala-nos um pouco de como tem sido esta experiência na Roménia.

TF: Esta minha experiência está a correr muito bem, temos um estádio novo, somos a equipa com mais adeptos (média de 20 mil por jogo), estamos em 3° no campeonato e nas meias finais da Taça e vamos tentar lutar por tudo. O campeonato é mais ‘competitivo’ que o português no sentido de que qualquer equipa pode ganhar a qualquer outra, não tem a discrepância que existe no campeonato português. A cidade é boa, não é muito grande mas tem tudo.

 

RD: Tens o objectivo de regressar a Portugal em breve ou preferes continuar a aventura no estrangeiro?

TF: Neste momento quero desfrutar do U Craiova, uma grande equipa, que me acolheu muito bem.

 

RD: Representas-te Portugal em todas as selecções jovens. Acreditas que podes chegar à Selecção Nacional em breve?

TF: Acredito! Acredito em mim, sei onde tenho de melhorar e quem sabe num espaço de 3/4/5 anos posso chegar à selecção.

 

 

RD: Quais as pessoas que têm sido mais importantes na tua carreira?

TF: Na nossa profissão a família é a nossa base, a minha esposa é um grande pilar para mim, assim como os meus pais e o meu irmão.Tenho 2 amigos, que são como família para mim… o Ricardo Alves e o Lupeta.

 

RD: Que medidas achas que deviam ser tomadas para acabar com estas constantes polémicas que têm afectado o futebol português? No estrangeiro, as pessoas já têm noção da realidade que aqui se vive?

TF: O futebol português está podre… ninguém respeita ninguém, o que interessa é ganhar, seja de que maneira for… eu ‘arrumava’ com certo tipo de pessoas que nada fazem bem ao futebol português e que o mancham constantemente.

 

RD: Conta-nos alguma situação engraçada/caricata que tenhas vivido a nível futebolístico.

TF: Uma vez no União cortei as meias a um amigo meu… ele ficou maluco(risos), a seguir incriminei outro amigo meu, ele nunca suspeitava de mim(risos) depois meteu a esse meu outro amigo fidalgão nos boxers para se vingar. Vingar de uma coisa que não tinha feito. Foi uma grande risota no balneário, acho que até agora nunca soube que fui eu que lhe cortei (risos). 

 

Uma vez mais, mas agora publicamente, agradecemos ao Tiago Ferreira por nos ter concedido esta entrevista e aproveitamos também para lhe desejar todo o sucesso na sua vida pessoal e profissional.